quinta-feira, 2 de agosto de 2007

Pare de reclamar!!!

Meus amigos, gostaria de contar da lição que eu tomei de um senhor do interior de Pernambuco nesses dias.

Estava eu numa das paradas de ônibus da Universidade Federal de Pernambuco logo após uma aula bastante chata, que só me serviu de mais um motivo para reclamar. Era por volta das 10 horas da manhã, com um sol que parecia sol de meio dia. Digo mais um motivo, porque já estava reclamando sobre como seria ruim pegar um ônibus de onde estava até o trabalho: poderia pegar um ônibus direto para o centro da cidade, descer lá e caminhar por uns 10 min até chegar no meu trabalho no Recife Antigo. Tempo total: 1 hora - 1 hora e 10 min; poderia também pegar um ônibus para um terminal de integração, de lá pegaria um metrô até outro terminal de integração, onde pegaria outro ônibus que me deixaria na porta do trabalho. Tempo total: 50 min - 1 hora. Distância de uns 10 Km se fosse de carro.

Ainda esperando o ônibus, me aparece um senhor com um aspecto de uns 40 a 45 anos de idade, pobre, com uma sacola carregada nos ombros (que parecia ser de objetos pessoais), e me pergunta:

- Você sabe dizer se pra ir para Boa Viagem é só seguir direto?

Ora, o local mais perto de Boa Viagem estava a uns 15 Km.

- Olha, Boa Viagem tá muito longe daqui!
- Muito longe? Mas é só ir aqui direto?
- É muito longe mesmo! O senhor pode ir aqui direto e lá na frente caminhar um pouco para a esquerda e pegar um ônibus lá.
- Não! Eu vou a pé mesmo. Eu vim do interior para arrumar emprego lá. É só seguir aqui direto?

Meus irmãos, eu não entendi no momento o quanto aquele homem me ensinou a não reclamar. Só umas duas horas depois foi que eu entendi quão profunda foi a atitude daquele homem.

E meio sem jeito disse:

- O senhor segue direto e lá na frente o senhor dobra à esquerda e segue em frente até chegar lá!

Não estou querendo dizer aqui que ele estava sorrindo de alegria e desejoso de andar no mínimo 15 Km para procurar emprego, mas ele estava disposto a isso. Se ele ficasse reclamando com certeza não alcançaria esse objetivo, mas ao contrário, encarou o problema e foi. Imagino a hora que esse homem chegou a Boa Viagem.

Resumindo, eu com um emprego bom estava reclamando por ter que pegar ônibus; o homem sem emprego (à procura de um emprego bom) não hesitou em encarar uma caminhada mínima de 15 Km e debaixo de sol quente.

E agora? Será que dá pra parar de reclamar mais um pouquinho também?

[]'s
Emerson de Lira Espínola

4 comentários:

sampaio-e-silva disse...

Num desse nem o dinheiro do buzão a ele. É pau!!!!

Ruma nele Roli, ruma, ruma!!!!

Emerson disse...

Eu não tinha trocado!

mateus disse...

Ei mano porque não deu a passagem pro truta que tava dando um corre atrás de trampo. Sacanagem hein.... hehehehe

Emerson disse...

Já disse: eu não tinha trocado. E nem sempre a gente se liga nisso. Eu fiquei tão chocado com a situação que nem pensei direito.

Essa galera é fogo... Numa história real de lição de vida e os caras ficam olhando o pontinho preto na parede branca.